Notícias locais

23 de março de 2018

Confiança dos comerciantes da Baixada Santista para a Páscoa cresce 10% em relação ao ano passado


Levantamento do SincomércioBS avalia a expectativa dos empresários em relação ao ano passado e revela intenção de compra dos consumidores

Enquanto ano passado a expectativa de aumento nas vendas para o período da Páscoa era de 5%, em 2018, o crescimento esperado pelos empresários é entre 10 e 15%. De acordo com a pesquisa realizada pelo Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista (SincomércioBS), 37% dos 64% entrevistados que creem em maior lucro encaixam-se nesta porcentagem.

Pontuaram 26% cada as opções entre 5% e 10% e acima de 15%. Os menos otimistas, que acreditam em faturamento de até 5%, totalizam apenas 10%. Há, também, os lojistas que esperam manter o nível de vendas semelhante a 2017 (28%) e os que preveem queda (8%) – número que ano passado chegou a 26%. O motivo para aqueles que supõem diminuição na receita é dividido igualmente (50%) entre: desinteresse do público pela data e a crise econômica enfrentada pelo país.

A principal estratégia dos lojistas para atrair consumidores é a decoração especial da loja e/ou vitrines (71%), mas grande parte dos empresários também pretende investir na oferta de novos produtos (67%). Os que optam pela divulgação em mídias digitais equivalem a 41% e, para 20%, o treinamento de funcionários é a melhor tática. Neste questionário, os comerciantes podiam escolher entre uma ou mais ações de vendas.

Colaboradores temporários não serão necessários para a maioria dos empresários (68%). Dos 32% que irão priorizar a ajuda extra, 50% devem contratar apenas um funcionário. Para 37%, o reforço será de dois temporários, enquanto 12% optam por agregar três.

Ticket médio

O levantamento do Sindicato também ouviu os consumidores da região para saber a expectativa de consumo para a Páscoa. Como no ano passado, as aquisições serão de até R$100,00 para a maioria (57%). Porém, logo em seguida, com 36%, estão aqueles que pretendem desembolsar entre R$100,00 e R$200,00. Somam 5% os que irão escolher chocolates e presentes entre R$200,00 e R$300,00 e 1% cada quem opta por gastar entre R$300,00 e R$400,00 e acima de R$400,00.

A preferência de quem compra ainda são os ovos de chocolate (68%). As caixas de bombom são a escolha de 31% e as barras de chocolate, de 20%. Este ano, a forma mais popular de pagamento será dinheiro (43%), seguido de perto por cartão de crédito (37%). Aquisições com cartão de débito serão 20% no total.

Para o consumidor, o que mais chama atenção na escolha de uma loja para realizar a compra são as promoções e liquidações (57%) e o bom atendimento (51%). Os entrevistados também mencionaram: vitrine bem arrumada ou chamativa (21%), produtos diferentes ou novos no mercado (18%) e propaganda em TV, rádios e jornais (7%). Neste questionário, os entrevistados podiam escolher entre uma ou mais respostas.

Voltar para Notícias