Notícias locais

5 de setembro de 2019

Logística inteligente facilita a participação dos pequenos negócios em licitações públicas


Maior ganho em participar de um processo de compras governamentais é a forte presença no mercado; confira sugestões do SincomércioBS para não errar nessa hora

Dos 39,3 mil processos de licitações federais abertos em 2018, 19,7 mil contaram com a participação de pequenas e médias empresas, mas apenas 5,6 milhões (14,3% do total) foram vencidos por elas. Os dados são da Consultoria LicitaBR. Mesmo com o cenário econômico apontando para uma recuperação (ainda que lenta), o número de editais de licitação cresceu, embora somente 55% do total contaram com a participação de pequenas empresas.

As burocracias envolvidas nos processos licitatórios tendem a afastar os pequenos negócios, seja por falta de preparo, seja em decorrência da imprevisibilidade de se conseguir dar conta dessa nova demanda. E as incertezas quanto ao rumo da economia são um peso adicional para a decisão do empresário.

Para reduzir toda a burocracia nesses processos de compras de materiais e contratação de serviços pelo governo federal, a Secretaria de Gestão do Ministério da Economia lançou a primeira fase de Logística com Inteligência Artificial (LIA), ferramenta para que os pequenos negócios possam obter informações de forma objetiva e simplificada sobre o Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais (SIASG).

O LIA é um assistente virtual que funciona 24 horas, todos os dias da semana, de modo a resolver questões relativas a vários aspectos das aquisições feitas pelo Poder Público, tais como: módulo de gestão de ata de registro de preço; sistema de cadastramento unificado de fornecedores (Sicaf); cadastro de reserva em ata de registro de preço; consulta a atas de registro de preços; e termos de adesão às licitações. Para ter acesso ao LIA, o usuário deverá acessar o Portal de Compras do Governo Federal.

Como esses pequenos negócios representam 98% do total de empresas no País, responsáveis ainda por empregar 52% da mão de obra, o porcentual de participação nas licitações ainda é muito pequeno ao considerar o seu potencial de crescimento, diz o Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista (SincomércioBS).

O que o comerciante precisa ter em mente é que o processo de licitação pode ser uma grande oportunidade para os pequenos negócios, uma vez que possibilita que a empresa diversifique sua oferta e tenha presença mais competitiva no mercado. E as inúmeras dificuldades não precisam ser um impedimento. Um ponto essencial é a Lei Complementar n.º 123/2006, que prevê mecanismos diretos para garantir o tratamento diferenciado e favorecido aos micros e pequenos negócios nas compras governamentais.

Mas para ter todo esse ganho, o empresário precisa planejar de forma estratégica com o intuito de dimensionar o tamanho do estoque e, assim, atender ao aumento da demanda em decorrência das vendas ao governo. Além disso, como há um espaço de tempo até que a empresa receba o pagamento pelo produto ou serviço, ela terá que se programar para manter a sustentabilidade do fluxo de caixa.

Além disso, participar de um processo licitatório exige das empresas que estejam preparadas para lidar com toda a burocracia envolvida, tanto em relação à documentação quanto para saber avaliar com cuidado em quais oportunidades a organização terá mais chances de ser bem-sucedida. Erros nessas etapas geram prejuízos e comprometem recursos importantes das empresas. Tendo isso em vista, o pequeno negócio pode buscar o serviço de consultorias especializadas nesses processos para se adaptarem mais eficientemente.

Voltar para Notícias