Notícias locais

7 de maio de 2018

Na Baixada Santista, filhos vão presentear no Dia das Mães gastando até R$ 100,00


Pesquisa realizada pelo SincomércioBS também mostra expectativa dos empresários para a data comemorativa

 

Consumidores da Baixada Santista pretendem gastar entre R$50,00 e R$100,00 em presentes para o Dia das Mães este ano. Isso é o que aponta a pesquisa de expectativa e consumo realizada pelo Sindicato do Comércio Varejista da Baixada Santista (SincomércioBS) com clientes e empresários das nove cidades da região.

A maioria, que opta pela faixa R$50,00 e R$100,00, totaliza 45% dos entrevistados. Quem não quer exceder o limite de R$50,00 representa 24% e os filhos que têm a intenção de gastar entre RS100,00 e R$200,00 somam 21% das respostas. Aqueles que querem desembolsar um pouco mais na hora de presentear, com itens entre R$200,00 e R$300,00 e acima de R$300,00, acumulam 5% cada.

Mais uma vez, os produtos mais procurados para agradar as mães serão os artigos de vestuário, como roupas (46%) e calçados (29%), mas perfumes (21%) e cosméticos (17%) também são escolhas populares entre os compradores. Além destes, recebem destaque os itens jóias e acessórios (8%), flores (5%), eletrodomésticos (5%) e livros (4%). Eletrônicos e óculos completam a lista com 1% de intenção de compra cada. No questionário, os entrevistados podiam escolher entre uma ou mais opções de presentes.

Para a maioria dos consumidores (56%), o que mais chama atenção na hora de escolher uma loja para a compra são as promoções e liquidações. Outra prioridade para quem irá gastar no período é o bom atendimento (45%), mas uma vitrine bem arrumada ou chamativa (26%) também atrai quem passa pelo comércio. Um produto novo ou diferente no mercado instiga 20% dos clientes, enquanto 17% pretende presentear de acordo com o que a mãe deseja. Baseiam a compra em propaganda na TV, internet, revistas ou jornais apenas 5%.

A aquisição deverá ser feita nas próprias cidades da Baixada Santista, segundo moradores da região. Do total de 49% que planejam comprar localmente, 33% preferem lojas de shopping e 16%, lojas de rua. Optam por procurar presentes na Internet 6% e se mostraram indiferentes ao tipo de loja escolhida, 45%. Com 35%, o pagamento parcelado com o cartão de crédito ainda é o favorito para quitar a dívida. Mas, para 65%, a compra será feita à vista: 33% com cartão de débito e 32% com dinheiro.

EMPRESÁRIOS ESTÃO OTIMISTAS

A pesquisa também ouviu os empresários da região sobre a expectativa de vendas para o Dia das Mães. Para 83%, o nível das vendas deverá aumentar em relação ao ano passado. Já 10% acreditam que o faturamento se manterá o mesmo e apenas 7% preveem queda na receita.

Entre os que esperam crescimento, 40% creem que o aumento será acima de 15% em comparação ao mesmo período em 2017. Aqueles que antecipam expansão entre 5% e 10% somam 24% e 23% dos lojistas são ainda mais otimistas e confiam em lucro adicional de 10% a 15%. Já para 13% dos comerciantes o crescimento máximo será de até 5%. Entre o percentual de empresários que esperam um cenário negativo neste ano, 100% deles apontaram a crise econômica como o principal motivo para uma possível queda nas vendas.

A decoração especial da vitrine e da loja é a principal estratégia para atrair os consumidores e aumentar as vendas de acordo com 47% dos entrevistados. Outros 27% pretendem investir na oferta de novos produtos, enquanto 25% acreditam que o maior chamariz é a divulgação nas redes sociais. Também foram citados propaganda em TV, rádio, ou jornais (14%), treinamento de funcionários (9%) e promoções (6%). Pontuaram abaixo de 1% brindes e sorteios entre os clientes. Neste questionário, os comerciantes podiam escolher entre uma ou mais ações de vendas.

Em relação a funcionários temporários, 11% dos empresários ouvidos devem contratar mão de obra extra para o período. Entre os que planejam aumentar o quadro de colaboradores, 67% devem admitir apenas um novo funcionário, outros 22%, dois, e 11%, três.

O levantamento foi realizado entre os dias 1 e 17 de abril de 2018, com 550 entrevistados, nas nove cidades da Baixada Santista. A pesquisa tem caráter quantitativo, pelo método de levantamento com amostra aleatória simples e estratificada.

 

Voltar para Notícias